Quem nunca agiu por impulso e depois se arrependeu, lance a primeira pedra. A grande maioria das pessoas quase certamente fez algo sem pensar e, então, percebendo, sabia que deveria ter agido de maneira diferente ou simplesmente não deveria ter feito nada na época. Portanto, esse sentimento de arrependimento certamente não é privilégio de poucos.

No entanto, você provavelmente conhece também aquelas pessoas (e talvez você esteja entre elas) que vivem afirmando aos quatro ventos que nunca se arrependeram de algo que fizeram. O mais poético, mesmo, corre o risco de completar a frase com “Só me arrependo do que parei de fazer”.

Respeitando as singularidades e lembrando que não existe uma maneira certa e errada de ser, devo dizer que, particularmente, não acho que o arrependimento seja uma coisa ruim ou um sinal de falta de personalidade, como muitas pessoas acreditam. Pelo contrário, acho que mostra uma boa dose de consciência. Mostra que, se fosse possível, a pessoa teria agido com mais prudência, equilíbrio e coerência.

Bom, mas arrependimento não é suficiente! Você precisa tentar reparar a bagunça que causou. Primeiro, você pode procurar aqueles que sofreram e se desculpar, lembrando que uma solicitação de pedido de desculpas pode ser aceita ou rejeitada e que você terá que aceitar isso.

E então a situação pode ficar complicada. Quando você magoa ou machuca alguém que decide não perdoá-lo, parece ser mais difícil tirar aquele gosto amargo de arrependimento da sua boca. Nesse caso, o que pode ser feito?

O fato de você ter deixado claro que se arrependeu é um excelente começo, especialmente mostra grande responsabilidade, porque o arrependimento deve ser sinônimo de aprendizado. Isso significa que você fará tudo para evitar cometer o mesmo erro novamente. Você tem que mostrar que ele merece uma segunda chance.

De qualquer maneira, mesmo assim, o outro pode não ser capaz de perdoá-lo. Isso é chamado de “consequência”. Tudo o que fazemos na vida tem consequências. Alguns bons e outros nem tanto. E começamos a vida adulta com mérito precisamente quando aprendemos a crescer e a melhorar, principalmente com nossos próprios erros.

Em suma, o arrependimento não repara o que foi quebrado, não desfaz o que foi feito e não garante que você será perdoado. Mesmo assim, é possível superar a dor que causa. É possível transformá-lo em algo bom. E, acima de tudo, deve ser um convite para se perdoar. Porque se você não pode se perdoar, vai acabar preso em uma espécie de poço, incapaz de continuar. Sem poder crescer.

Por essas e outras razões, além de perdoar a si mesmo, e se, a partir de agora, você começar a ser mais tolerante, gentil e compreensivo com os erros dos outros? Tenho certeza de que todos vamos ganhar!