Terapia de ondas é opção de tratamento para disfunção erétil

Procedimento funciona através de uma onda acústica que aumenta a circulação sanguínea local, promovendo processos reparação do tecido.

A disfunção erétil, também conhecida como impotência sexual, acomete diversos homens pelo mundo. O distúrbio consiste na dificuldade em alcançar e manter a ereção do pênis, devido à quantidade insuficiente de sangue na região. Dados da Sociedade Brasileira de Urologia mostram que problemas de ereção atingem 6 milhões de brasileiros.

Um estudo realizado pela USP (Universidade de São Paulo), aponta que metade dos problemas sexuais que afetam os homens, corresponde a um problema de ereção. 50% desses homens, são adultos com mais de 40 anos e possuem alguma queixa em relação às suas ereções.

Uma novidade no tratamento desse problema é a Terapia de Ondas. O procedimento funciona através de uma onda acústica que aumenta a circulação sanguínea local, promovendo processos de neovascularização e reparação do tecido.

“A Terapia de Ondas apresenta resultados eficientes e sem efeitos secundários ou necessidade de recuperação. O procedimento é indolor, não invasivo e traz resultados duradouros”, explica Dr. Emilio Sebe Filho, cirurgião urologista especializado em rins, próstata e prótese e fundador da rede de clínicas Lifemen.

Cada sessão tem duração de 8 a 12 minutos, e é realizada com o paciente deitado, em um ambiente confortável, enquanto o médico administra as ondas de choque. A terapia é considerada segura, e não provoca efeitos colaterais indesejados ao indivíduo.

“O número de aplicações depende do paciente, condição clínica e física, e também da idade. Os primeiros resultados são sentidos após 4 seções e é recomendada uma visita médica de pelo menos, duas vezes por semana, para acompanhar o processo de tratamento”, explica o urologista.

O médico ressalta que, “o tratamento é individual, depende de cada pessoa e seu estilo de vida, e só pode ser feito após a análise de um médico”.

Quer compartilhar fatos e dicas? Envie para o e-mail: [email protected]

Comentários:
error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: