Casais compostos de homens homossexuais que estão em um relacionamento aberto tendem a estabelecer laços emocionais mais próximos do que as pessoas que praticam a monogamia, de acordo com os resultados preliminares de uma investigação realizada pelo Centro Rural para a Prevenção da AIDS dos EUA. Universidade de Indiana.

A pesquisa foi iniciada em 2015 e teve como foco o estudo de 10 casais homossexuais que mantinham um relacionamento aberto, os participantes tinham entre 19 e 43 anos de idade. Para obter dados, cada homem foi entrevistado individualmente por 45 minutos.

“Queríamos ver como essas relações foram formadas e como elas evoluíram ao longo do tempo; e examinar a relação entre a qualidade percebida, satisfação e potencial de irrigação de adquirir o HIV ou outras doenças sexualmente transmissíveis , ” disse Christian Stults, principal pesquisador e estudioso no Centro de Saúde, Identidade, Comportamento e Estudos de Prevenção da Universidade de Nova York.

Segundo Stults, os primeiros resultados indicam que os casais homossexuais em relacionamentos abertos eram “mais felizes” e declararam que sua relação é “mais satisfatória”. Além disso, nenhum dos casais contraíram o HIV durante o estudo e não houve risco de contrair uma infecção sexualmente transmissível.

“Minha impressão é que, por enquanto, eles não parecem estar menos satisfeitos, e pode até ser que a comunicação deles seja melhor do que em casais monógamos, porque eles tiveram que negociar detalhes específicos” , disse o pesquisador.

Apesar dos resultados obtidos na pesquisa, Brian Norton, um estudioso da Universidade de Columbia, disse que não considera que os relacionamentos abertos podem ser tão afetivos quanto os monogâmicos: “O sexo é uma experiência emocional. Há emoção no jogo e, mesmo em uma experiência transicional, alguém pode ser amarrado “.

Em 2012, quatro estudos da Universidade de Michigan descobriram que a percepção social das relações monogâmicas é mais favorável do que a criada em torno de relacionamentos abertos.

“Os gays sempre participou com mais frequência em não consensual – relações monogâmicas, e a sociedade tem constantemente estigmatizados sua decisão de fazê-lo , ”  disse Michael Bronski, professor do Departamento de Mulheres, Gênero e Sexualidade na Universidade de Harvard

Os resultados completos do estudo serão publicados no início do próximo ano.

Com informações do Queerty, The Guardian e Desastre Mx

Quer compartilhar fatos e dicas? Envie  para o e-mail: [email protected]

Comentários:

De todos os motivos/ Vitor Castrillo

Preço:R$ 1,99
0
error: Content is protected !!
WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: