Estar solteiro é uma questão de opção. Para muitas pessoas, não ter um par significa mais liberdade, mas, para muitos, a falta de um companheiro é sinônimo de tristeza ou da resolução de dar um tempo nos relacionamentos. O valor atribuído à “solteirice” depende de cada pessoa e está relacionado à idade, contexto cultural e prioridades de vida. Segundo o Instituto Ipsos Brasil, especialista em pesquisas de mercado, 54% da população brasileira se declara “solteira”. Outros estudos revelam que 65% daqueles que se dizem disponíveis estão buscando um parceiro nos sites de relacionamento.

Vivemos em um mundo de relações e contatos permanentes, somos seres sociais. É natural que exista o desejo de ter alguém com quem compartilhar a vida. Aqueles que prezam o fato de não ter ninguém com quem se comprometer emocionalmente aproveitam a fase para o autoconhecimento e reflexões sobre o que espera da vida e, eventualmente, de um amor. A maioria, que está solteira de forma involuntária e não está feliz com a situação, opta pelas facilidades das plataformas de relacionamento. Com a possibilidade de descrever exatamente o que procura, aproveitando todos os filtros disponíveis, fica mais fácil encontrar o tão desejado parceiro.

A tendência de utilização das ferramentas oferecidas pelos sites foi evidenciada durante a pandemia. Com mais tempo para se dedicar à busca, os “disponíveis” foram responsáveis por um crescimento de 80% no número de cadastros semanais na plataforma de relacionamento sugar MeuPatrocínio, a pioneira no Brasil. Eles não economizaram esforços na troca de mensagens. Antes do isolamento social, o site registrava 136 mil mensagens enviadas por dia. Hoje, mais de um milhão de mensagens são trocadas entre os usuários. O tempo de permanência aumentou para cerca de 90 minutos diários, contra os 30 minutos da média anterior.

No MeuPatrocínio, com mais de três milhões de usuários, as sugar babies, mulheres jovens, atraentes e determinadas a conquistar segurança emocional e financeira, representam 2.033.299, enquanto que os babies masculinos são 699.091. Do outro lado, estão os sugar daddies e as sugar mommies – pessoas maduras, bem-sucedidas, em busca de um relacionamento transparente e com objetivos alinhados desde o início -, que totalizam 305.968 e 52.540, respectivamente. Possibilidades não faltam para aqueles que querem mudar o status de solteiro para comprometido. É só uma questão de escolha e de disponibilidade, basta aproveitar as oportunidades e as facilidades que os sites de relacionamento oferecem.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.