Análise da Ashley Madison apontou que cerca de 5 mil brasileiros se inscreveram no site diariamente

Estar em isolamento social, para muitos, não significa deixar de conhecer pessoas novas. Pelo menos é o que mostra os dados recentes da Ashley Madison, plataforma líder em relacionamentos extraconjugais. Uma análise de dados inédita apontou que, somente no mês de agosto, uma média diária de 5 mil brasileiros se inscreveram no site.

Mesmo sem sair de casa, com o avanço da pandemia, os usuários da plataforma, estão se sentindo mais propensos a procurar algo fora de seu relacionamento usual. Uma prova disso é que, de março a julho de 2020, ainda em meio à crise do Covid-19, a média de inscrições diárias no site foi de 4,226. Em agosto, a plataforma contabilizou outro aumento, com 700 inscritos a mais por dia do que nos últimos meses.

 

Não é de se estranhar que o Brasil é um dos países com mais membros na plataforma. De acordo com Paul Keable, diretor de estratégia da Ashley Madison, o país é o segundo com mais inscrições no site durante a pandemia. “Os brasileiros estão sendo obrigados a conviver com seus cônjuges 24 horas do dia, 7 dias por semana. Seja para ‘apimentar’ a relação, bem como para não sobrecarregarem seu relacionamento sério, a Ashley Madison se tornou uma válvula de escape para essas pessoas”, aponta.

No total, desde seu lançamento no Brasil, em 2011, a plataforma tem 11 milhões de usuários provenientes do país. Durante o isolamento social e a quarentena, a cidade de Brasília, foi a que mais teve inscrições na Ashley Madison, seguida por Manaus, no Amazonas, e São Paulo.

“Com o aumento das taxas de divórcio nos países que iniciaram a reabertura, oferecemos um caminho alternativo para ajudar as pessoas a lidar e, finalmente, ajudar os casais a preservar o casamento depois que a poeira baixar”, revelou Paul Keable.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui