Início Destaque Psicóloga Amanda Fitas comenta como saber dosar o ciúme em todas as...

Psicóloga Amanda Fitas comenta como saber dosar o ciúme em todas as suas relações

0

A especialista em relacionamentos inter e intrapessoal explica a sua posição sobre esse sentimento.

Seja o ciúme em uma relação amorosa, seja no convívio entre amigos ou mesmo entre pais e filhos, esse sentimento costuma aparecer sempre em algum momento da vida. Muitas pessoas acreditam que esse sentimento de maneira moderada é benéfico para os relacionamentos, pois o outro se sente valorizado, mas será mesmo super valorização ou apenas autoestima baixa de quem sente?

Segundo a psicóloga Amanda Fitas, o ciúme vem de sensações como inferioridade e insegurança. “Não tem como dizermos que esse sentimento é algo positivo para a nossa vida, já que gera um incômodo de uma das partes ou até mesmo de ambas”. Ele tem o poder de gerar inúmeras brigas em todos os tipos de relações, por achar que o outro está fazendo algo escondido.

Por outro lado, as pessoas romantizaram o ciúme e quando o outro não sente em nenhuma situação vivida, acredita-se que é “falta de amor”. “Mas está longe disso, não é saudável! O ciúme vem como uma desconfiança de quem a outra pessoa é”, explica a psicóloga. Em situações que o sentimento é mais brando, que não atrapalha a vida da pessoa e nem daqueles a sua volta, ela pode ir canalizando isso sozinha.

Em casos de excessos, o ideal é buscar por ajuda de um psicólogo e ter esse acompanhamento para cuidar da mente e seus sentimentos. O terapeuta irá, juntamente com o paciente, racionalizar o ciúme e verificar o quanto este sentimento tem limitado a vida dele e afetado as pessoas a sua volta. O profissional também investigará todo o quadro, já que em alguns casos esse comportamento é gerado por outras patologias como o transtorno obsessivo compulsivo (TOC).

Muitas pessoas acabam se afastando dos amigos por conta do ciúme de outros. O que você acha disso?

As pessoas acabam achando que o amigo está andando mais com outra pessoa do que ele mesmo. Gerando uma sensação de propriedade, achando que o amigo deva seguir um script do que ela acha certo. E acaba esquecendo que as pessoas são livres, elas têm essas necessidades de trocas com outros, de afeto de terceiros. É importante que elas trabalhem isso em seus interiores para não sofrerem e nem fazer o outro sofrer também.

E quando o amigo (a) do casal, na verdade, está de olho na sua esposa (o)?

Quando está em um nível em que as duas pessoas se “olham”, isso é nítido para todos! Quando esse “olhar” é com segundas intenções acaba ficando explicito.

De certa forma, se a situação estiver clara, o ideal é conversar com o seu parceiro e entender se há algum interesse dá parte dele, para juntos chegarem em um consenso da sua relação.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui