Uma nova pesquisa que examina a saúde mental dos jovens e adolescentes descobriu que determinada população com maiores probabilidades de experimentar pensamentos suicidas ou tentativas são homens transexuais, isso por causa da rejeição, falta de compreensão de sua identidade e discriminação sofrida.

A pesquisa, publicada na revista Pediatrics. foi intitulado Perfis da Vida Estudantil: Atitudes e Comportamentos (Profiles of Student Life: Attitudes and Behaviors) e foi desenvolvido pelo Search Institute, uma organização com sede em Minneapolis. Os inquéritos realizados para a pesquisa incluem respostas de 120 mil 617 pessoas entre 11 e 19 anos do projeto de coleta de dados iniciado em junho de 2012 e concluído em maio de 2015.

Os resultados mostraram que 14% dos adolescentes entrevistados disseram ter tentado o suicídio em algum momento de suas vidas e que os adolescentes transexuais tiveram os maiores índices de tentativas de suicídio. As taxas mais altas foram encontradas entre os homens transexuais adolescentes, já que mais da metade (50,8%) disseram ter tentado suicídio.

A amostra incluiu 202 adolescentes (0,2%) que se identificaram como mulheres transexuais, 175 (0,1%) como homens transgêneros e 344 (0,3%) como não-binários; enquanto cerca de 0,9% dos adolescentes pesquisados ​​(1052) relataram ter questionado ou não ter certeza sobre sua identidade de gênero.

Além de altas taxas de tentativas de suicídio entre as mulheres e os homens transexuais, constatou que 41,8% dos adolescentes que se identificou como binário havia tentado suicídio. A mesma resposta foi dada por 29,9% das mulheres trans, 27,9% dos adolescentes questionados, 17,6% das mulheres cisgénero e 9,8% dos homens cisgénero.

“A investigação está extremamente necessárias para entender por que as tentativas de suicídio são maiores entre os jovens e transmasculinos não binários jovens”, diz Russell B. Toomey, principal autor do estudo e professor associado de Estudos para o Desenvolvimento Humano e Família da Universidade do Arizona.

Enquanto isso, Heather Huszti, chefe de psicologia do Hospital Infantil de Orange County, na Califórnia, explicou que os números de suicídio são geralmente mais elevadas em todas as populações que vivem estigma social ou cuja existência não pode ser compreendido.

“(Sentindo-se marginalizados, estigmatizados e isolados) que leva a muitas crianças nesse nível de desesperança e impotência, que é uma das coisas que podem abastecer depressão e uso de substâncias … O uso de substâncias e depressão em conjunto também pode aumentar o risco de suicídio.disse Huszti.

Com informações da CNN.

Quer compartilhar fatos e dicas? Envie  para o e-mail: [email protected]

Comentários:

error: Content is protected !!
WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: