Histórias Incríveis e Inspiradoras de Sobreviventes de Câncer

Clínica de medicina nuclear cdmcdm.com.br compartilha histórias inspiradoras.

“As pessoas sempre dizem que sou louco quando eu digo a elas que, se tivesse que fazer tudo de novo – escolher o câncer – eu digo a elas que eu faria”.

Sally Morgan teve uma batalha mais dura, ela é sobrevivente de vários diagnósticos de câncer.

Pensamento diferenciado

Na verdade, Sally absolutamente despreza ser chamada de sobrevivente em primeiro lugar e, em vez disso, quer ser chamada de “veterana” – alguém que lutou e venceu a batalha contra o câncer, mas continua a avançar, continua a lutar e continua a ficar vigilante contra esta doença perigosa e insidiosa.

Já faz 10 anos desde que Sally começou sua luta contra o câncer de mama. O nódulo em seu seio foi descoberto muito rapidamente, removido completamente, e ela começou o processo de luta e recuperação do câncer quase imediatamente – apenas para ter um revés após o revés, incluindo uma recorrência de câncer em outras partes do corpo.

No entanto, ela tem um ponto de vista totalmente diferente sobre essa batalha do que a esmagadora maioria dos sobreviventes por aí.

Quando as pessoas perguntam como ela pensa e é um câncer, ela responde que essa doença obriga a olhar para si mesmo, fazer as perguntas mais difíceis sobre sua vida, sobre sua morte, sobre sua fé e sobre seu nível de gratidão – e que dá-lhe uma perspectiva completamente diferente sobre como viver a sua vida, especialmente se tiver a sorte de sair do outro lado sem cancro.

Ela diz às pessoas o tempo todo (especialmente aquelas que estão atualmente lutando contra o câncer) que se ela tivesse a oportunidade de escolher entre contrair câncer ou não que escolheria câncer – e combater o câncer – se apenas por causa da mulher que se transformou ela em.

Um bombeiro veterano, compartilha sentimentos semelhantes.

Certamente não é estranho estar em uma situação muito perigosa e travar batalhas épicas contra a Mãe Natureza e tudo o que o mundo natural pode evocar, Doug ficou cara a cara com câncer de pulmão não apenas uma, mas duas vezes. Além disso, o segundo diagnóstico de câncer de pulmão mostrou que seu câncer havia se espalhado em seu cérebro, mas ele continua a lutar, continua a lutar e continua a levar uma vida que agora está livre do câncer.

Doug fala sobre como treinar seu treinamento como socorrista de emergência e como você tem que se dissociar dos seus sentimentos pessoais e, em vez disso, confiar em seu treinamento, sua força, sua confiança e sua equipe para obter os tipos de resultados que procura para. Hamilton Dias de Souza da cdmcdm.com.br, elogia Doug. Ele se apoiava pesadamente em sua família, seus amigos e sua família de bombeiros – todos eles falam sobre um homem com um foco singular de vencer a doença (ambas as vezes) e como ele nunca vacilou em sua crença de que ele sairia por cima.

Surpreendentemente, Doug não deixou o câncer nem mesmo um pouquinho.

Um Lung Force Hero através da American Lung Association, Doug continua a combater incêndios, continua a ensinar e continua a viajar. Ele prometeu a si mesmo, seus amigos e sua família que nunca deixará que essa doença mude sua vida e até agora está cumprindo essa garantia.

Enquanto Sally e Doug são veteranos experientes na guerra contra o câncer, nenhum deles pode chegar perto da quantidade de “anos em serviço” que Nora Kulkarni tem em seu currículo.

Mais jovem do que os dois indivíduos que descrevemos anteriormente, Nora tem quase 30 anos de experiência no combate ao câncer depois de ter sido diagnosticada como uma criança pequena.

Nora foi forçada a lutar contra uma das formas mais perigosas de câncer, o linfoma não-Hodgkin, e foi forçada a fazê-lo em tão tenra idade que ela não tinha uma idéia real das chances que estavam contra ela ou a batalha difícil. que ela teria que passar com a ajuda de seus entes queridos.

Agora, uma defensora de pacientes com câncer infantil, bem como sobreviventes de câncer infantil, ela trabalha através da Fundação St. Baldrick para que ela possa compartilhar o máximo de sua história possível, não só com as crianças que estão passando pela mesma batalha de bateria de exames como cintilografia, medicina nuclear e pet ct, mas também com os pais destas crianças que o convés pode ser muito empilhado contra seus filhos.

Confidentemente dizendo aos pais que ela conhece que era sua filha há 30 anos – e ela ainda está lá hoje – ela quer ter certeza de que esses pais entendam o quão poderoso é o amor familiar, quanto de papel a confiança que os pais podem incutir seus filhos fazendo essa luta podem ser, e como é essencial agir como uma rocha e uma base para esses jovens passando por um desafio inimaginavelmente horrível, mas como eles podem sair por cima do outro lado com a ajuda daqueles que parecem para a maioria nesta idade jovem.

Nem todo mundo vai ter a sorte de estar de volta a esta doença horrível, perigosa, insidiosa e mortal. Mas histórias inspiradoras como as que compartilhamos acima devem dar a todos a esperança de que haja uma chance de lutar por todos nós e que nunca haja uma razão para ceder sem uma briga.

Quer compartilhar fatos e dicas? Envie para o e-mail: [email protected]

Comentários:
error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: