Entenda como é o processo de cura com a hipnose

Todos nós conhecemos alguém que tenha pavor de altura, muito medo de dirigir, não suporta ambientes fechados ou entra em desespero ao ver uma barata, por exemplo. São as famosas fobias. Fobia é um medo exagerado, quase paralisante ou as vezes, até paralisante.

Apesar de parecer algo “bobo” e para alguns até exagero das pessoas que apresentam essas sensações, as fobias são comuns e atingem cerca de 20% da população mundial.

Fobia é o medo excessivo de alguma coisa e/ou situação, elas são ligadas diretamente a nossa mente subconsciente.

Quando determinada coisa ou situação representa uma forte emoção ruim, causa medo, pânico e aversão na pessoa que sofre com uma fobia, desestabilizando emocionalmente ou ainda causando uma reação descontrolada como por exemplo sair correndo, fugir.

Em alguns casos, o simples fato de a pessoa imaginar ou falar sobre o agente causador da fobia, pode causar reações como se ela estivesse vivenciando uma situação real.

Por isso é fundamental que pessoas que sofram com algum tipo de fobia, procurem ajuda e tratamento o quanto antes, desta forma evitando que situações do dia a dia não se tornem transtornos ou constrangimentos.

“Quem lida com alguma fobia nunca deve deixar o tratamento psicológico, psiquiátrico ou até medicamentoso de lado, mas existem também outras opções para quem procura uma resposta rápida, como a hipnose”, conta Madalena Feliciano, hipnoterapeuta.

As fobias são divididas em 3 tipos:

  • Fobia social: medo excessivo de atividades ou situações específicas, como falar em público;
  • Agorafobia: medo mórbido de se achar sozinho em grandes espaços abertos ou de atravessar lugares públicos;
  • Fobias simples: medo irracional de algum tipo de objeto, animal ou situação.

Existem ainda o transtorno fóbico-ansioso, que é a combinação entre os sintomas do distúrbio de ansiedade, com as sensações de pavor, desconforto e medo irracional.

Uma pessoa com esse transtorno pode facilmente antecipar os sintomas da fobia, antes mesmo de se deparar com o agente causador.

Muitas vezes, o tratamento consciente tem um progresso lento, justamente por não alcançar o ponto mais afetado. Buscar manter o controle e pensar sobre não ter uma resposta negativa ao agente que lhe causa fobia é um começo, mas não a solução, pois o medo no subconsciente é mais forte.

A Universidade do Vale do Sapucaí em Pouso Alegre – MG, acompanhou 40 pessoas que relatavam ter fobia de dentista. Após passarem por uma sessão de hipnoterapia, 94,87% relataram redução da tensão e medo; 87,17% tiveram redução da ansiedade.

“Para o subconsciente, não há diferença entre o perigo real e o imaginário, então qualquer situação que remeta o paciente ao perigo, já será extremamente alarmante”, explica a especialista.  “A emoção é muito forte e primordial, é preciso atuar na causa do problema para eliminá-lo”.

A fobia liga um fator externo a uma memória interna, e então a pessoa tem uma reação negativa quando relembra isso. Com a hipnose, é possível desfazer essa ligação ou então conectar o fator externo a uma nova lembrança, dessa vez positiva. Dessa forma, a pessoa não terá mais respostas negativas, o medo e o pânico desaparecerão, por meio da ressignificação e da reprogramação mental.

“Fobias podem ser tratadas, são problemas que atrapalham a vida de alguém, mas é passageiro, se você procurar ajuda”, finaliza Madalena.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui