Cresce o número de casados em aplicativo de namoro para quase 150%

Publicidade

Isolamento social faz aumentar o número de “casado, mas procurando”

Com as restrições impostas pela necessidade de isolamento social, constatou-se o crescimento no número de pessoas em busca de um relacionamento virtual. Não só por aqueles que desejam aplacar os momentos de solidão, mas também por aqueles que querem aproveitar o momento e selecionar com mais critério os seus prováveis parceiros. Ao mesmo tempo, observou-se que o número de “casado, mas procurando” tem registrado sucessivos recordes. A procura por relações extraconjugais, talvez provocadas pela intensa convivência e conflitos com o parceiro oficial, é um dos muitos reflexos da insatisfação provocada pela quarentena.

Na plataforma de relacionamento sugar MeuPatrocínio, a pioneira no Brasil, o crescimento foi da ordem de 80% no número de cadastros semanais. Antes do início da quarentena, 20 mil novos cadastros eram realizados semanalmente, hoje, o MeuPatrocínio está atendendo 36 mil novos usuários no mesmo período. Outra diferença observada foi o tempo de permanência no site, cerca de 90 minutos diários, contra os 30 minutos da média anterior. Os usuários estão mais focados nas telas de mensagens, listas de destaques e buscas. Antes da pandemia, a plataforma registrava 136 mil mensagens enviadas por dia. E, atualmente, mais de 1 milhão de mensagens são trocadas entre os usuários.

 

Publicidade

Comparativamente, no período de março a junho de 2019, o site recebeu 320 mil cadastros. Destes, 48 mil foram de Sugar Daddieshomens maduros, poderosos em busca de um relacionamento transparente, com objetivos alinhados com sua Sugar Baby desde o início. No momento do cadastro, 20.800 daddies (43,3%) informaram ser solteiros, 19.040 (39,7%) registraram-se como “separado, divorciado ou viúvo” e 8.160 (17%) revelaram ser “casado, mas procurando”. Já de março a junho de 2020, período da pandemia, o número de cadastros totalizou 476 mil, sendo 71.400 de Sugar Daddies. Entre eles, 28.560 (40%) registraram-se como solteiros, 21.420 (31,5%) como “separado, divorciado ou viúvo”, e 20.349 (28,5%) afirmaram ser “casado, mas procurando”. O crescimento entre aqueles que buscam uma relação extraconjugal chegou a quase 150%.

Verifica-se que, apesar do aumento na procura por casos extraconjugais, o risco de traição sempre esteve presente nos relacionamentos. Não foi a pandemia a única responsável pelo crescimento de “casados, mas procurando”. A ideia de buscar algo fora da relação oficial já estava latente, já existia anteriormente. O isolamento e o desgaste natural de uma convivência 24h por dia só abriram a porta para uma nova possibilidade. Aceitar ou não a modalidade de “relacionamento paralelo”, sem juízo de valor, cabe aos envolvidos.

Publicidade

Artigos relacionados

Comentarios

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Compartilhe o artigo

Artigos Mais Recentes