Profissionais do ramo da estética do CEUNSP orientam sobre rotina de cuidados na estação

 O inverno é uma estação bem esperada por muitos, mas traz junto dele o tempo frio e o ar seco, que caracterizam o clima. Além da descamação natural e exposição comum às toxinas trazidas pela poluição, o clima da estação tem consequências para a pele.

Face, joelhos, cotovelos, pernas e pés são as áreas mais expostas e suscetíveis aos impactos do inverno. Segundo o Coordenador dos Cursos de Estética Cosmética e de Fisioterapia do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (Ceunsp), Prof. Me. Amilton Latecola, o efeito é direto na estética e funcionalidade da pele: “a exposição pode causar um aumento da perda de água pela epiderme, tornando a pele mais suscetível ao ressecamento”.

A primeira forma de cuidado com a pele é a higienização. Para isso é recomendado o uso de cosméticos específicos para cada área do corpo. O uso de tônicos para ajustar o pH da pele também é recomendáveis para os tratamentos. O terceiro fator de atenção é o uso de hidratantes. Atingindo a parte superior da epiderme, o uso do produto ajuda na proteção da pele no contato com os fatores externos.

Vale ressaltar que o protetor solar é indispensável até nos dias frios. “A incidência de raios UVA e UVB se mantém praticamente em dias nublados e de sol. O uso do protetor é imprescindível, já que a quantidade de raios ultravioletas que chega à superfície da pele é extremamente prejudicial à saúde da mesma”, afirma a Prof.ª Paloma Barreto, docente do curso de estética do Ceunsp.

Alimentação

Outro ponto de atenção no cuidado com a pele é quais alimentos ajudam e quais são agressivos para os cuidados. Os nutrientes desempenham um importante papel no fornecimento de efeito foto protetor para a pele. Entre os alimentos recomendados estão:

– Antioxidantes que protegem a pele de moléculas que aceleram seu envelhecimento, encontrados no morango, framboesa, amora, uva, acerola, folhas e vegetais verdes, entre outros;

– Proteínas e aminoácidos, já que a pele é uma estrutura composta por proteínas e é metabolizada a partir de aminoácidos. Leite, ovos, carne, sardinha e folhas verde-escuras são fontes para esses recursos;

– Outro alimento recomendável é a linhaça. A semente é fonte de ácidos graxos ômega 3, ômega 6, minerais, vitaminas e fibras, que auxiliam na hidratação cutânea. A soja é um alimento que possui ação imunoestimulante e ativadora do colágeno da pele;

– Alho e cebola são ricos em substâncias antioxidantes e também agem nos processos inflamatórios;

– A água é a principal forma de cuidado com a pele. O líquido promove sua hidratação, inibindo a instalação de rugas precoces, auxiliando na função de proteção e também na eliminação de toxinas.

Entre os alimentos não recomendáveis, estão os ricos em açúcar, sódio, conservantes, corantes, gordura trans, gordura saturada e teor alcoólico. São eles alimentos industrializados, refrigerantes, bebidas alcoólicas e embutidos.

Tipos de pele

Os cuidados e características das peles variam conforme sexo, idade e cor. No caso da pele masculina, a queratina é abundante devido a presença da testosterona, deixando-a áspera. A quantidade de células sebáceas e pelos também tende a ser maior, tornando a pele mais oleosa e propensa a acnes.

A Prof.ª Paloma diz que, além de pelos finos e claros, a pele feminina sofre maior estímulo dos hormônios estrogênio e progesterona. “O que lhes confere uma pele mais delgada, delicada e com menos secreção sebácea”, afirma a professora.

Até os 25 anos, os cuidados básicos envolvem manter a pele hidratada e controlar a oleosidade. Assim, mantendo suas funções naturais. Após essa idade, os profissionais recomendam usar produtos com efeito antioxidante (evita o envelhecimento da pele); de lifting (estimula a produção de colágeno e elastina, e preserva matriz extracelular); esfoliantes e renovadores (auxiliam no processo de descamação e renovação das camadas superficiais da pele); e clareadores (para regularizar a pigmentação). Esses cuidados e precauções devem ser mantidos e praticados com mais intensidade em idades avançadas.

Peles com tons mais claros apresentam mais sensibilidade em relação às outras e maior tendência à irritação e alergias. “Esse tipo de pele tende a ser mais desidratada e tem propensão a envelhecer rapidamente”, explica o Prof. Amilton, que recomenda também tratamentos de rejuvenescimento e equilíbrio hídrico, além do uso de protetor solar.

Por produzirem melanina em maior quantidade, serem mais espessas e oleosas, as peles com cores escuras têm propensão a apresentarem manchas. Para evitar isso, cuidados no sentido de proteção (proteção solar, clareadores etc.), esfoliação e ativação da renovação cutânea também são comuns.

O tratamento de peles secas e oleosas também tem suas diferenças. Para cuidar da pele oleosa são utilizados produtos hidratantes livres de óleos minerais, cosmético sem gel, sérum ou líquido que não obstruem os óstios/poros. Os produtos, auxiliam no ajuste do pH e equilíbrio entre a oleosidade e a hidratação, promovendo restauração da função protetora da pele.

A pele seca tem falha na barreira de hidratação. Para restaurá-la é necessário aumentar a nutrição, estimular colágeno e elastina e inibir a degradação cutânea. Para isso, é recomendável o uso de produtos extremamente hidratantes, ativos antioxidantes e inibidores do envelhecimento e produtos ricos em nutrientes.

Confira também outras recomendações gerais importantes para o cuidado com a pele:

  • Os banhos diários devem ser mornos, não quentes;
  • Filtros solares devem ser passados antes da exposição ao sol e repostos sempre que necessário;
  • Deve-se evitar a exposição prolongada ao sol;
  • Evitar fumar;
  • Beber a quantidade adequada diária de água;
  • Hidratar a pele continuamente.

Quer compartilhar fatos e dicas? Envie  para o e-mail: [email protected]

Comentários:

error: Content is protected !!
WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: