Nos recentes debates jurídicos sobre casamento entre casais do mesmo sexo, há quem acredite que não se deva falar abertamente sobre as dificuldades e os conflitos desses casais, enquanto há muitos oponentes que poderiam encontrar apoio para suas reivindicações homofóbicas nessas descobertas científicas.

Por que falar sobre seus conflitos?

Entretanto, para avançar no posicionamento social da comunidade LGBT, é necessário demonstrar as necessidades desses casais e a corresponsabilidade social nas dinâmicas relacionais mais frequentes.

Portanto, não se trata de apresentar uma visão romântica ou satanizada desses relacionamentos amorosos, mas, ao contrário, evidenciar suas particularidades e contribuir com elementos da psicologia para construir entendimentos e intervenções ajustados.

O relacionamento é motivo de consultas frequentes

Observamos que alguns dos motivos mais freqüentes de consulta que pessoas sexualmente diversas trazem são dificuldades no relacionamento, como rupturas constantes, abuso, infidelidade, ciúme, comunicação deficiente, problemas sexuais ou brigas recorrentes. Estes são sintomas que devem constituir um alarme para o casal e para os quais é necessário procurar ajuda.

Dinâmica de casais do mesmo sexo

Sobre a dinâmica doscasais do mesmo sexo e a intervenção psicológica nesses casais, estes apresentam características particulares e, portanto, não podem ser entendidos a partir de parâmetros heterossexuais.

Suas particularidades estão relacionadas tanto a um contexto homofóbico que não legitima essas uniões, como a conflitos individuais dos membros que impactam a configuração e os padrões relacionais predominantes nesses casais.

Como posso avaliar meu relacionamento?

Vale a pena que os casais do mesmo sexo façam uma avaliação periódica de seu relacionamento, pois isso facilita a resolução de conflitos e a busca de ajuda antes que eles sejam exacerbados.

As áreas a serem avaliadas são:

  • a satisfação com a vida conjugal (incluindo a vida sexual, ligação e comunicação)
  • as fontes de estresse pessoal que afetam o relacionamento (saída da universidade, morte ou doença de parentes, perda de trabalho, mudança de cidade, conflitos familiares, entre outros)
  • as crenças que limitam a experiência do casal (crenças religiosas e heteronormativas)
  • os conflitos que cada membro do casal evidência (ciúmes, maus-tratos, má comunicação, infidelidade, brigas ou rupturas constantes, entre outros).

A partir desse equilíbrio pessoal do relacionamento, os casais do mesmo sexo poderão definir que tipo de recursos e ajudá – los a nutrir o relacionamento e a resolver as dificuldades.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.